COMO A MINHA VIDA MUDOU EM 5 ANOS

Essa é a história de como um jovem do interior do Ceará, pobre e de escola pública fez escolhas conscientes para mudar de vida.

ATENÇÃO: Esse texto não traz nenhuma fórmula mágica. Se você está procurando isso, está no lugar errado!

Eu nasci em Itatira, uma cidade muito pequena que fica no interior do Ceará. Apesar da situação cômoda que vive minha família, ela é pobre. Para conseguir o meu diploma, me tornar um engenheiro de computação, passei por muita coisa, não foi fácil mesmo! Esse texto tem o único intuito de servir de inspiração para pessoas que virão depois de mim. Espero que os próximos parágrafos lhe motivem a seguir lutando pelos desejos de seu coração.

Eu sou o sorridente ali em cima.

Parte I — Sorte de principiante

Cinco anos atrás eu fiquei muito triste ao saber que não havia conseguido uma vaga no curso de engenharia de computação, pelo SISU, no IFCE de Fortaleza. Minha colocação era péssima, a ponto de nem ter fé alguma na lista de espera. Apesar disso, me inscrevi na lista de espera, pelo simples fato de o esforço ser mínimo.

Para quem não conhece, esse aqui é o IFCE de Fortaleza, ou ao menos a entrada haha :)

Parte II — Na faculdade

Agora a história vira um mar de rosas certo? Notas boas, sucesso profissional e tal, né? Errado! Eu não fiquei numa colocação ruim no SISU por acaso. Não consegui aproveitar bem o ensino médio, principalmente por dois motivos. (I) A escola onde estudei era pública de interior e infelizmente não contava com um sistema de ensino tão apurado quanto os encontrados nas grandes escolas, que depois fui descobrir maior parte dos meus companheiros de sala na faculdade fizeram parte e (II) eu não dei a devida atenção que o ensino médio merece, em parte por influência do meio. Quando se vive em uma cidade pequena e vindo de uma família pobre não é grande a sua lista de pessoas para se inspirar, de possibilidades para o futuro. Mas quero deixar bem claro que se eu tivesse um mindset legal na época, nenhum desses pontos citados seriam impeditivos/dificuldades.

Beleza, mas o que isso tem a ver com o que você vai falar agora?

Bom, quando eu entrei na faculdade simplesmente não consegui assimilar nada! Eu não fazia a mínima ideia do que os professores de cálculo, física, etc. estavam colocando na lousa. Pra ter uma noção do quanto eu estava mal, eu não sabia o que era uma função! Sim, uma das coisas mais básicas que eu iria precisar. Reprovei em cálculo e física. Quando isso aconteceu eu fiquei muito triste e pensei seriamente em mudar de curso, fazer alguma coisa mais fácil, onde eu me daria melhor. Eu me sentia um impostor, ocupando o lugar de alguém que realmente merecia estar ali. E esse foi o meu maior problema, se sentir um impostor.

Tô entendendo, mas e aí, que papo foi esse que tu levou com o teu professor?

Deixa eu te explicar primeiro que esse cara é professor, mas também é um líder religioso local. Certa feita, já no fim do semestre eu estava saindo de um local de culto religioso. Ele me avistou e me perguntou como eu estava. "Tô bem. A faculdade está indo bem, mas próximo semestre vou mudar para outra faculdade". Ele fez uma expressão de quem não tava entendendo direito "Mas porquê você mudaria para uma faculdade com o sistema de ensino inferior ao da nossa?". Ele fez um curto discurso naquela noite, se me lembro bem era sobre a importância da educação na vida dele. Também falou alguma coisa sobre como Deus o ajudou. Lembro-me que fez bem ouvir aquilo dele. Me fez pensar. A conversa foi interessante professor, obrigado.

Olha eu ali de blusa azul, entre a primeira e a segunda fileira! Essa foto foi tirada mais ou menos na época que eu tive aquele papo com o professor.

Parte III — A escolha da mudança

A conversa havia sido inspiradora, mas nenhuma mudança verdadeira parte de fora. A conversa inspiradora serve apenas para isso, inspirar. Esse texto aqui tem o mesmo intuito. Te inspirar. Agora é que a história vai começar de verdade.

Então, mar de rosas agora, né?

Não! Tomei a decisão, agora eu tinha que estudar muito para conseguir melhorar. E como eu não estou aqui pra contar mentiras para você, eu vou ser bem honesto contigo: Eu nem sempre fui o melhor de mim mesmo! As vezes eu escorregava e me dava mal. Mas quer saber? A maior parte do tempo eu consegui dar o melhor de mim. Sabe como? Colocando na minha cabeça que aquilo era importante. Enquanto meus colegas começavam a estudar para as provas uma semana antes, eu começava um mês antes. O resultado final (e honesto) é que eu consegui. Eu consegui ser muito melhor do que o Alcivanio que entrou na faculdade. O segredo é que não tem segredo. Senta a bunda na cadeira e estuda muito, que no final das contas você vai conseguir. E talvez uma última palavra sobre isso, um resumo:

Parte IV — Últimos semestres

Certa feita participei de uma entrevista de emprego onde um dos meus professores da faculdade estavam presente. Fiz uma previsão de que me formaria em um ano, coloquei isso num currículo. Ele leu, e tendo acesso as minhas informações disse algo como "Cara, isso é irreal. Você não conseguirá se formar em um ano. No mínimo precisará de um ano e meio para conseguir cumprir essa carga horária restante". Talvez ele tenha dito isso com todas as boas intenções do mundo. O problema é que quando alguém diz que eu não vou conseguir, eu entendo isso como um desafio. E de fato acabou se tornando um grande desafio.

Aqui a gente se reuniu para comemorar o início do último semestre na faculdade. Eu sou o carinha de branco se achando meio roqueiro fazendo esse gesto com a mão.
Time da Mobills, a empresa onde trabalhei no último ano da faculdade. Eu tô na última fila, terceiro da esquerda para a direita.

Parte V — E agora?

Agora é só mar de rosas! Mentira. Finalmente formado, eu sinto como se a jornada estivesse apenas no começo. Durante a faculdade eu pude ter contato com culturas novas, ideias novas e perspectivas novas. Lembro da frase de um professor do primeiro semestre "A faculdade é o lugar para você encontrar a grande ideia". Eu diria ainda mais, a faculdade é o lugar para você ir de encontro a grandes ideias, grandes pessoas, novos destinos, novos rumos. Então nesse primeiro parágrafo eu quero agradecer ao IFCE, aos professores, aos funcionários. Muito obrigado. Obrigado por todo o tempo que vocês fizeram parte da minha vida, obrigado pelo trabalho transformador que vocês fizeram.

Joguei um bocado de foto com a galera da faculdade aqui.

Tá, mas você não ia falar alguma coisa para mim?

Vou sim! Eu quero dizer que se um rapaz de 19 anos consegue começar e terminar essa jornada, você também consegue, independentemente de qual seja a sua jornada. Quero que você sinta orgulho de você mesmo. Está pensando em abrir uma empresa? Vai em frente, e não desista. Tá pensando em sair do interior e começar uma faculdade? Você tem esse sonho? Pois invista em você mesmo. Se organize, planeje e corra atrás! Seja lá qual for o seu sonho, eu tenho certeza que se você se esforçar e tiver muito foco, você irá conseguir. E foco não é algo sobre-humano, qualquer um consegue ter.

Realmente a vida é generosa com quem vive sua Lenda Pessoal

— O Alquimista, Paulo Coelho

Gostou desse texto? Se ele tiver te inspirado, ajude a compartilhar ele para que outras pessoas tenham acesso a essas mesmas palavras. Compartilhe nas redes sociais e marque as pessoas que você acha que precisam ler isso. Não esquece de aplaudir aqui no Medium!

Computer Engineer + iOS Engineer. I am interested in Swift, Kotlin, Firebase, Data Structures, ASO & On Solving Real World Problems.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store